10 bancos que se renderam a Blockchain

blockchain

No início, tudo parecia uma brincadeira. Uma moeda virtual que vai substituir o sistema bancário? Os bancos riram. Mas a verdade é que depois de alguns anos de desenvolvimento da tecnologia blockchain, esta provou-se ser uma grande inovação da humanidade e agora os bancos estão em uma verdadeira corrida tecnológica para entender como tirar proveito desta poderosa ferramenta.

Confira abaixo o que alguns dos principais bancos do mundo vêm fazendo em relação à blockchain e bitcoin:

1) UBS

O banco suiço UBS criou em Londres um laboratório específico para estudar a blockchain. A partir dele, a instituição financeira pretende desenvolver sua própria moeda virtual que poderá ser usada para processar transações financeiras. A empresa inglesa Clearmatics está ajudando o banco nesse desenvolvimento. Executivos do banco já afirmaram publicamente que veem grande potencial na tecnologia. A empresa inclusive lançou uma competição voltada a startups de tecnologia que possam estar envolvidas com algum elemento da blockchain. O UBS também é membro fundador da iniciativa R3, que reúne 9 bancos em prol do desenvolvimento do protocolo que sustenta a bitcoin.

2) Citi

Em meados de 2014, o banco nova-iorquino Citi publicou um relatório afirmando que as criptomoedas pertenciam às 10 tecnologias mais disruptivas e que seria preciso “parar e pensar sobre isso”. De acordo com reportagens publicadas na imprensa internacional, o banco está atualmente trabalhando na criação de sua própria moeda, chamada de Citicoin. O diretor do Citi Innovation Labs, Ken Moore, afirma que o grupo está estudando a tecnologia há vários anos. A empresa também vem patrocinando conferências sobre bitcoin e blockchain.

3) Barclays

Em Londres, Manchester e Nova York, o Barclays vem trabalhando a tecnologia da blockchain em seus laboratórios. De acordo com Derek White, chefe de design e negócios digitais do banco, a instituição vem trabalhando em 45 diferentes frentes relacionadas à temática das criptomoedas.
Em parceria com a startup Safello, o banco vem tentando desenvolver em sistema de pagamento próprio baseado na blockchain.

4) Santander

O banco espanhol Santander afirma ter encontrado de 20 a 25 diferentes utilidades para a tecnologia por trás das bitcoins. No início deste ano, a instituição em parceria com Oliver Wyman e o Anthemis Group, publicou um estudo que afirma que a tecnologia blockchain poderia economizar cerca de US$ 20 bilhões por ano até 2020. Segundo a revista Business Insider, o banco está considerando realizar um investimento direto em uma startup que trabalha diretamente com blockchain.

5) Royal Bank of Scotland

O Banco Real da Escócia está atualmente trabalhando com a startup Ripple, que utiliza a tencologia da blockchain para liquidar transações utilizando moedas tradicionais. O banco também está em discussões com a renomada exchange Coinbase. O RBS também é membro fundador da iniciativa R3.

6) Bank of America Merill Lynch

O Banck of America Merill Lynch foi um dos primeiros bancos a escrever sobre bitcoin em dezembro de 2013. O estrategista David Woo afirmou à época que as criptomoedas poderiam se tornar o principal meio de pagamento para e-commerce e poderia ser um competidor a altura para os serviços de transferência atuais. Woo, contudo, diz que ele não considera bitcoin como um investimento.

7) Deutsche Bank

De acordo com o periódico Wall Street Journal, o Deutsche Back está explorando o potencial de aplicação comercial dos protocolos distribuídos em áreas que incluem a liquidação de contratos derivativos, serviços para clientes e registros anti-lavagem de dinheiro. O economista do banco Thomas Dapp, em julho, publicou um relatório afirmando que a bitcoin é uma das verdadeiramente disruptivas tecnologias, defendendo que os bancos poderiam defender seus modelos de negócio implementando certas partes da tecnologia blockchain. A instituição também está abrindo três laboratórios de inovação que estudarão a blockchain em cidades como Berlim, Londres e São Francisco.

8) Goldman Sachs

O Goldman Sachs participou de um investimento de ordem de US$ 50 milhões na Circle, uma startup norte-americana que tenta utilizar a blockchain para melhorar o serviço de pagamentos de consumidores. O banco ainda publicou uma série de artigos e estudos sobre a tecnologia.

9) Credit Suisse

O banco Credit Suisse publicou um estudo no início deste ano que afirma que as flutuações no valor são o que estão impedindo a bitcoin de se tornar popular. Alan Freudenstein e Greg Grimaldi, diretores do fundo de investimento em Fintech do banco, afirmaram na imprensa que eles vêm olhando empresas de blockchain como potenciais investimentos, mas que ainda não encontraram a companhia vencedora.

10) JP Morgan

O banco JP Morgan pediu uma patente de uma moeda digital que se parece bastante no papel com o que o bitcoin parecia em 2013, mas pouco efeito surtiu dessa iniciativa. O CEO do banco, Jamie Dimon, publicamente criticou a criptomoeda e a chamou de uma “terrível reserva de valor”. Mas o executivo está interessado na blockchain. Em uma carta aos acionistas no início do ano, ele disse que a companhia precisa olhar mais de perto o que acontece no Vale do Silício para evitar que a empresa seja ultrapassada por concorrentes.

Deixe um comentário