Porquê é um bom momento para compra de criptomoedas

Por que é um bom momento para compra de criptomoedas? Informações de economia e política internacional ou análise de preços passados – o que é mais importante para você na hora de avaliar o momento da compra de uma criptomoeda? Neste post do blog falamos um pouco sobre como números e fatos influenciam o mercado, para você tirar suas conclusões se é um bom momento para compra.

Nós não temos dúvidas de que as criptomoedas vieram para ficar. Muitos ainda as vêem como ativos financeiros de longo prazo, porém já existe uma comunidade global que utiliza criptomoedas no dia a dia. Para os dois casos, é necessário sempre manter-se atualizado. Investidores e usuários costumam seguir suas próprias regras na hora de tomar decisões de compra ou de venda, utilizando como base informações de economia e política internacional ou análise de preços passados – e para você, o que é mais importante na hora de avaliar o momento da compra de uma criptomoeda? Neste post do blog falamos um pouco sobre como números e fatos influenciam o mercado, para você tirar suas conclusões se é um bom momento para compra. 

Apesar de o mercado de criptomoedas ser independente, descentralizado e não pertencer nem a bancos nem a governos, as notícias sobre política e economia global acabam refletindo no mercado cripto também. Vamos tomar o bitcoi como base para este post. Nos último dias, por exemplo, após a notícia de baixo volume negociado no dia de abertura da negociação de contratos futuros de bitcoin na Bakkt* (bolsa de bitcoin de Nova York) houve bastante agitação no mercado de cripto, com grande volatilidade e quedas. 

Após o período de turbulência, o bitcoin passou alguns dias rondando pelo patamar do 8 mil dólares – às vezes um pouquinho mais, às vezes um pouquinho menos, no que chamamos de “mercado de lado” ou “lateralizado”, quando não há grandes oscilações e se mantém um patamar de preço. 

Porém, após o anúncio do FED (Federal Reserve, o Banco Central norteamericano) que informou que irá imprimir mais dólares para injetar na economia americana, comprar títulos e ativos financeiros deste país, mexeu com o mercado de criptomedas logo em seguida – não só o bitcoin, mas também altcoins famosas como o ethereum reagiram com um movimento de alta a esta falta de confiança e de transparência que o governo norte americano passa quando anuncia que simplesmente vai imprimir mais dinheiro para manter sua soberania econômica, sem lastro, sem uma clareza de regulação. Bitcoin e diversas altcoins são alternativas a estes modelos autocráticos. Critpmoedas são códigos computacionais que não podem ser alterados ou fraudados; códigos que não “brincam” com a economia de um ou outro país, apesar da volatilidade que ainda apresentam. Quem dá o preço e quem dá o tom é a comunidade. E o nosso quintal não tem fronteiras. 

Quando passamos à análise dos preços passados de bitcoin, vemos que no final de 2017, 1 bitcoin chegou a valer quase 20 mil dólares. Poucos dias depois desta máxima, a criptomoeda começou a “corrigir” este preço para baixo, chegando ao patamar de 3.500 dólares entre o final de 2018 e início de 2019. No final de junho deste ano chegamos à marca dos 14 mil dólares, e depois de oscilações em torno dos 10 mil dólares, estamos hoje no patamar de 8.500. Legal, vário número bonitos, mas o que isso significa? De uma maneira simples, significa que o bitcoin “já conhece o caminho”, ele já sabe como chegar de volta aos dez mil dólares, aos 14 mil dólares, aos 20 mil. E também sabe “romper caminhos”, pois teve que romper vários patamares em sua primeira grande alta em dezembro de 2017. 

Soma-se a isso a informação de que, a cada 210 mil novos blocos minerados, ou aproximadamente de 4 em 4 anos, acontece um evento chamado “Halving”, que consiste em uma redução de 50% na recompensa paga aos mineradores da rede, que monitoram e validam as transações, passando em 2020 de 12,5 bitcoin para 6,25 bitcoin por bloco minerado. Isso faz com que esta cripto se torne cada vez mais escassa e, com isso, a tendência de preço é de subida. Somando estas informações, qual sua opinião sobre o próximo momento das criptomoedas?

(*) Bakkt = bolsa de bitcoin desenvolvida pelo dono da NYSE (Bolsa de Valores de Nova York) para investidores institucionais de Wall Street darem seus primeiros passos no mercado de cripto.

Deixe um comentário